Notícias

Postado às 07h00 | 08 novembro 2019 |

NATAL EM NATAL APRESENTA ZEZÉ MOTTA EM “O SAMBA MANDOU ME CHAMAR”

No próximo dia 19 de novembro, a partir das 20h, o Espaço Cultural Ruy Pereira (Centro), recebe a atriz e cantora Zezé Motta com seu novo “O Samba Mandou Me Chamar”. Zezé também participa de debate sobre Resistência, Diálogo e Canto e depois apresenta seu pocket show. A promoção é da Prefeitura do Natal e o evento faz parte da programação do Natal em Natal 2019. A entrada é gratuita.

“O Samba Mandou Me Chamar” foi lançado pela gravadora “Coqueiro Verde Records” e produzido por um dos maestros mais respeitados no mundo do samba Celso Santana, com músicas de Arlindo Cruz, Serginho Meriti, Lourenço, André Renato, Marquinhos PQD, Christiano Moreno, Marisa Monte, Carlinhos Brown e Erasmo Carlos.

Nascida em Campos, Zezé Motta logo aos dois anos de idade foi para o Rio de Janeiro, onde passou a estudar em um colégio interno. Um dia, levada pelas mãos de Maria Clara Machado, foi como bolsista, fazer um curso de teatro no Tablado, e começou a se interessar pela arte de representar. Em 1967 já estava profissionalizada.

Como atriz, tem carreira fulgurante. Sua estreia no teatro se deu em 1967, com “Roda Viva”, sob direção de José Celso Martinez Corrêa e, desde então, participou do elenco de importantes peças como: “Fígaro, Fígaro”, “Arena conta Zumbi”, “A Vida Escrachada de Joana Martine e Baby Stompanato”, em 1969; “Orfeu Negro”, em 1972, e “Godspell”, em 1974, entre outras.

Com passagens pelo cinema, em “A Rainha Diaba”, “Vai Trabalhar Vagabundo”, e a “Força de Xangô”, ZEZÉ fez teste para “Xica da Silva”, e foi com este papel que recebeu todos os prêmios como atriz. A seguir, vieram “Tudo Bem”, “Águia na Cabeça”, “Quilombo”, “Jubiabá” e     “Anjos da Noite”.

Em 1989, ZEZÉ MOTTA esteve nas telas em 6 filmes: “Sonhos de Menina Moça”, “Natal da Portela”, “Prisioneiro do Rio”, “El Mestiço”, “Dias Melhores Virão”, “Tieta” e “O Testamento do Sr. Nepomuceno”. No ano seguinte, participou de “Orfeu Negro”, de Cacá Diegues.

Recentemente, Zezé participou dos filmes “Quanto vale ou é por quilo”, “Xuxa e os Duendes 2 – No Caminho das Fadas”, “Saudade” de Jurgen Brunning (Alemanha) e protagonizou um curta metragem sobre Carolina Maria de Jesus, autora do livro “Quarto de Despejo”.

Em televisão atuou nas novelas “Corpo a Corpo”, “Pacto de Sangue”, “A Próxima Vítima”, “Corpo Dourado”, “O Beijo do Vampiro” e “Sinhá Moça” da Rede Globo e, “Kananga do Japão” e “Xica da Silva” da Rede Manchete.

Por sua voz de inegáveis recursos e seu timbre especial, aliados a presença carismática, fizeram com que ela personificasse a negritude com sua sensualidade assumida, combinando o misticismo dos cultos afros com uma ousadia ingênua.

Os convites para cantar começaram a aparecer e Guilherme Araújo, na época empresário das maiores estrelas da nossa música, tomou para si a chance do lançamento, e com um show memorável no MAM/RJ, a cantora ZEZÉ MOTTA entrava de vez na constelação de estrelas de MPB.